quarta-feira, 13 de outubro de 2010

RESENHA CRÍTICA DE O ALIENISTA - ANA CAROLINA E ANGÉLICA

Resenha Crítica do Livro “O Alienista” de Machado de Assis

A obra O Alienista de Machado de Assis, foi publicada no ano de 1882, reeditado pela editora L&PM de Porto Alegre no ano de 2009, adaptado para os novos leitores por Sérgio Luís Fischer.
A história se passa no século XIX, na cidade de Itaguaí, RJ, retrata uma crítica aos cientistas da época sem conhecimentos suficientes. O autor utiliza-se da personagem, Dr. Simão Bacamarte, médico que irá desenvolver suas teorias a respeito do tratamento da loucura, conhecimento adquirido em sua estadia na Europa.
O livro se divide em três partes: a primeira parte conta a história de Simão Bacamarte a partir do momento que ele se dedica a estudar a loucura. A segunda trata da revolução dos canjicas, movimento liderado por Porfírio, a terceira envolve os acontecimentos finais, o desfecho de toda a história. Divide-se em 13 capítulos, tem 43 páginas.
O Alienista, de Machado de Assis, conta a história de um médico, Simão Bacamarte, que se dedica a estudara loucura e a tratar os doentes mentais. Simão estudou na Europa e era um grande especialista, mas resolveu morar na pequena cidade de Itaguaí, no interior do RJ. Lá ele organiza um hospital para doentes mentais,que ficou conhecido como Casa Verde.
Ele se casa com Dona Evarista, esperando ter filhos com ela, mas não consegue. Como em toda cidade pequena daquele tempo, o poder é dividido entre padre, prefeito, vereadores e juiz; a chegada do médico com suas ideias estranhas mexe nessa situação.
Simão começa atestar suas ideias prendendo e soltando gente de seu hospício, sempre em busca da verdadeira diferença entre a loucura e a razão. Chega prender tanta gente que causa uma revolta popular, liderada pelo barbeiro Porfírio. Mas Simão mantém a Casa Verde.
No fim depois de algumas mudanças no modo de definir a loucura a loucura, Simão acaba se internando no hospício.
Na história de O Alienista, sua crítica se dirige ao poderoso médico, que acredita que a ciência está acima de todos os outros valores. Também ironiza alguns modos de agir na política: a história mostra o revolucionário que quando chega ao poder se torna conservador. Mostra também o sujeito que só se mobiliza quando está correndo perigo, o indivíduo oportunista que só pensa em si.
O Alienista é recomendado para alunos de ensino médio, não é um livro extenso, tem uma história com muitos significados, possui um certo tom de ironia o que deixa o leitor mais envolvido.
Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no RJ em 1839. Era filho de um humilde pintor e de uma dona de casa. Estudou pouco em escolas, o que aprendeu foi por esforço próprio. Foi tipógrafo e trabalhou no comércio de livros até entrar no serviço público, onde trabalhou até o fim da vida. Começou a escrever ainda jovem: foi poeta, cronista, contista, romancista. Sua literatura é conhecida pelo grande refinamento de sua observação da vida humana. Mais do que retratar a vida cotidiana, Machado soube mostrar muito bem a psicologia das pessoas de sua época. Machado de Assis foi reconhecido como o maior escritor de sua época e é um dos maiores da língua portuguesa. Faleceu em 1908.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário